[ editar artigo]

Juiz manda Santander pagar R$ 1 milhão a ex-funcionária

FONTE: PORTAL ESTADÃO

 

Juiz manda Santander pagar R$ 1 milhão a ex-funcionária vítima de lesão no braço

IAN CHICHARO GASTIM - O ESTADO DE S. PAULO

24 Abril 2015 | 18h 14

Perícia técnica constatou que mulher desenvolveu a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) em função do trabalho que exerceu durante 31 anos no banco; Santander, porém, ainda pode recorrer

 

A Justiça de São Paulo condenou o Santander a pagar uma indenização de R$ 1 milhão a uma ex-funcionária, que sofreu Lesão por Esforço Repetitivo (LER) após trabalhar 31 anos como escriturária do banco. No processo, a perícia técnica constatou que a mulher desenvolveu a doença ocupacional em função dos "esforços demasiados de seus membros superiores" que o trabalho demandava, o que a levou a desenvolver a lesão. 

 

"Ela foi mandada embora lesionada, que é uma situação que a lei garante direitos, mas não teve respaldo nenhum da empresa", afirma André Watanabe, do Crivelli Advogados Associados, responsável pela defesa da ex-funcionária. O Santander, entretanto, ainda pode recorrer da decisão, que foi em primeira instância. Em nota, o banco informou que "não se pronuncia sobre casos sub judice".

 

Para fundamentar sua decisão, o juiz Laércio Lopes da Silva, da 1ª Vara do Trabalho de Barueri, afirmou que a produtividade não pode ser buscada em detrimento de direitos. 

 

Se assim fosse, diz o magistrado, "o ser humano estaria sendo utilizado como meio, o que equivaleria na teoria de Emanuel Kant, a utilizar o ser humano como coisa, eis que o ser humano só pode utilizado como fim".

 

Santander ainda pode recorrer da decisão, que foi em primeira instância
Santander ainda pode recorrer da decisão, que foi em primeira instância

"Todas as coisas só podem ser realizadas tendo como fim o ser humano e os seus direitos, sobretudo a dignidade humana", prossegue o juiz nos autos do processo. 

O magistrado considerou também que a mulher ainda tem sequelas consideráveis em função da lesão e que a indenização não ocasiona o "lucro fácil para o ofendido e empobrecimento demasiado para o ofensor". O valor que a Justiça ordenou ao banco que pague à ex-funcionária engloba danos morais e uma pensão mensal vitalícia.

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,juiz-manda-santander-pagar-r-1-milhao-a-ex-funcionaria-vitima-de-lesao-no-braco,1675611

 

 

TAGS
Ler conteúdo completo
Indicados para você